quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Filosofia Carioca

Filosofei!
Mas dessa vez eu filosofei bonito.
Tao bonito,
Que me rendeu ate apelido;
Guru do Amor!

E Como guru do amor
Eu resolvi compor.
Compus poesia sobre amor,
Traduzindo toda aquela dor;

 Amor é nostalgia constante,
Funciona como um calmante,
Valioso como um diamante,
Meticulosamente excitante,
Intensamente alarmante,
Singelamente deslumbrante!

Querias eu ter amado, mas só tive Paixões
Que nada mais és do que euforia de conexões
Ardência de tesões
Carência de compreensões!

Mas um dia eu amarei.
E me lembrarei,
Daquela nossa conversa onde filosofei
E de onde me orgulhei
De ter sido batizado de;


Guru do Amor! 

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Fecho a janela, Abro a porta

Abre ano e fecha ano
E não concluo nenhum plano cartesiano.
Então dessa vez resolvi passar um pano,
Nesse pobre ser humano,
Que vive matutando,
Com o cérebro quase pífano.
Portando, Fui ali toma um ar
Pra poder me libertar,
Aprender e ensinar
Enlouquecer e depois filosofar,
Agradecer e agradar,
Sorrir ate chorar,
E se acaso algum dia eu voltar,
Mil historias eu não vou te contar.
Mas vou fazer você pensar;
Ano novo, tudo novo ou tudo de novo?

Fecho a janela, abro a porta
Não espere por minha volta!