terça-feira, 14 de julho de 2015

regrettable and enigmatic

Demorou um tempo, um longo tempo, mas em fim eu resolvi o enigma. Aquele enigmático enigma repleto de mistérios e segredos cujo segredos possuem segredos. No fim, tudo é muito simples, nós é que temos a mania de complicar as coisas. É como os cientistas da velha guarda pensavam, “ é muito obvio pra isso ser uma resposta”, Quando na verdade arcaico é pensar que toda resposta exige uma complexidade.

Assim foi todos esses anos. A busca por uma resposta mais bem elaborada do que a simples obviedade da coisa. No final a coisa já nem parece tão enigmática assim e toda a euforia e fervura que batia era simplesmente por haver um tom de mistério. Mistério esse que se desfez quando se passou a crer no obvio.

Você que lê tudo isso e não entende nada, fiquem tranquilo, essas palavras não forem sentenciadas para o seu entendimento. E a você que se sentiu conectada a essas sentenças, e que de fato foram elaboradas para te conectar mesmo, leia com bastante atenção:

“Desculpas não é nada mais nada menos do que um sentimento egoísta travestido de altruísmo. Uma necessidade egoísta e compulsiva de se sentir bem consigo mesmo diante de um copo quebrado. As “desculpas” não vão concertar o copo que quebrou e muito menos voltar no tempo e evitar o momento exato da queda do copo. Ela só serve pra te iludir em uma realidade em que o copo se concertou ou a de que ele nunca caiu."

 Conviva com isso, e seja feita sua vontade!!