sábado, 3 de novembro de 2012

A Síndrome de “save the planet”


Somos todos bichos! Animais cujo intelecto nos da uma falsa ideia de controle e superioridade sobre as demais espécies. Somos animais arrogantes e ambiciosos, movidos pelo capitalismo e a necessidade de alimentar o ego. Pensamos que pelo fato de ter um cérebro mais avantajado podemos devastar tudo e qualquer lugar e depois se devotar a um Deus, suplicando proteção.

Nada é orgânico, é tudo programado. Somos todos maquinas de sobrevivência lutando por se só. Cada um é programado para ser do jeito que é, respondendo a estímulos e pressões de todo o meio.  Competindo por um futuro incerto. Um futuro de maquinas!

Somos um câncer! O câncer do planeta. Multiplicando se aos montes, consumindo freneticamente do os recursos da biosfera. Matando, destruindo e atropelando toda forma de vida por um simples pedaço de papel. Somos a doença sem cura. E a terra, um moribundo no leito de morte esperando por um milagre.

O planeta não precisa de médicos para diagnosticar o problema, ele precisa é de anticorpos contra esses agentes cancerígenos. Salvar o planeta não é só separar o lixo e fazer coleta seletiva. É combater o sistema, a ganancia. É combater a falta de intelecto e ignorância do tão poderoso e sábio homo sapiens sapiens. Não precisamos de coleta seletiva de resíduos e sim de ideias!

Todos reconhecem o problema, e a resposta esta nas mãos de cada um. Mas será mesmo, que essa natureza do homem lhe permite salvar o planeta? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário