sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A Síndrome de 16 de Novembro


No cérebro as sinapses te fritam os lóbulos, milhares de sinais elétricos chegando de vários lugares, te fazendo enxergar, ouvir, cheirar, sentir e saborear. Puras ilusões, fantasias perplexas de um intelecto diferente do normal. Apenas ignore, por que quanto mais feliz você é mais ignorante você se torna.

Com quatro semanas de gestação, um embrião humano possui a calda de um réptil. Mostrando que não podemos negar nossa biologia. Não mudamos nossos costumes! Eu podia mapear seus genes, sequenciar suas regiões codificantes e verificar o comportamento de suas proteínas. Mas os resultados eu já sei.

É como fazer um drink. Pegue uma garrafa de duvidas e incógnitas e misture com medos e confusão. Colaca dois dedos de insônia e interrogações, chacoalhe bastante e por fim uma pitada de mistérios e segredos. Pronto! Quando tudo isso fervilhar, a reação emite um fóton, e o copo fica piscando. Não é um caso de gostar ou tolerar, esse só é mais um jeito. O seu jeito. Mesmo que esteja completando 22 anos hoje ou 72 daqui a cinquenta anos, esse copo é você. Este é seu drink!  

Não nos despedimos quando foi embora, em algum pedaço da curva soltei sua mão e não percebi. Parti com uma promessa de talvez, em algum dia, voltar e ver como as coisas ficaram. Porém o sentido da vida é 5’ pra 3’. É sempre pra frente!  Mas você sempre com um monstro invisível na cabeça arrasando tudo o que é de praxe. Uma brilhante ideia de uma cabeça nervosa grafitando outro muro de raiva. Um espelho invertido com dois reflexos brigando para coexistirem.

Um enigmático espelho que até os seus segredos possuem segredos.  Mas como em todo espelho, ele reflete a imagem que precisa por hora, não a que precise continuamente. Lembrando que o copo é surpreendentemente brilhante, culpa do fóton que emite uma luz muito forte tornando impossível ver o que tem dentro.  O lance do espelho e do fóton é ignorar.

Já posso ver a reação em cadeia. As reações químicas que criam uma emoção projetada especificamente para dominar a lógica. E a razão, uma emoção que te faz recusar uma verdade simples e obvia. A ignorância é uma dádiva. Quanto menos você saber mais feliz se torna!
Feliz aniversario!

domingo, 11 de novembro de 2012

A síndrome da evolução


As pessoas temem aquilo que não entendem. Com a evolução é assim! Essas pessoas se recusam a acreditar que nós, meros humanos, originamo-nos de seres simples. É um pouco complexo de entender a evolução, é verdade. Afinal a mente descontinua das pessoas impossibilita a formulação do contexto em seus cérebros. E em resposta a isso, elas ignoram completamente a evolução e se devotam a um ideal, um arquiteto!

Para essa grande massa, esse arquiteto é o responsável por criar todas as espécies visíveis e invisíveis existentes neste planeta. Com seu pincel ele criou o mundo em seis dias, fez a cada um de nos. E ainda conseguiu juntar o inútil com o desagradável e criar alguém.

Se formos seguir esse raciocínio, imagina o quanto impiedoso era esse arquiteto, ao ponto de juntar tudo o que é de ruim, que possas existir, e colocar tudo em um individuo. Imagina a quantidade de esboços descartados que ele se negou a dar o direito da vida. Sem falar no imenso gasto de matéria prima que ele descartara. Simplesmente ridículo tudo isso!

A evolução funciona justamente para não existir todas essas maluquices que dizem. Ela faz com que, por meio de um rigoroso processo seletivo as espécies fossem se diferenciando e adaptando-se a cada minúsculo lugar possível de existir uma vida. Desta forma e juntamente com um componente extra, a competição, cada espécie desenvolveu mecanismos únicos para driblar as pressões exercidas sobre elas. E com tudo, temos hoje essa vasta variedade de espécies.

Cada um acredita no que quiser, absorve aquilo que lhe convém e se contenta naquilo que consegue ver. Você pode continuar ignorando a evolução, mas não pode nega-la. Afinal sem ela seriamos seres unicelulares ate hoje!

sábado, 3 de novembro de 2012

A Síndrome de “save the planet”


Somos todos bichos! Animais cujo intelecto nos da uma falsa ideia de controle e superioridade sobre as demais espécies. Somos animais arrogantes e ambiciosos, movidos pelo capitalismo e a necessidade de alimentar o ego. Pensamos que pelo fato de ter um cérebro mais avantajado podemos devastar tudo e qualquer lugar e depois se devotar a um Deus, suplicando proteção.

Nada é orgânico, é tudo programado. Somos todos maquinas de sobrevivência lutando por se só. Cada um é programado para ser do jeito que é, respondendo a estímulos e pressões de todo o meio.  Competindo por um futuro incerto. Um futuro de maquinas!

Somos um câncer! O câncer do planeta. Multiplicando se aos montes, consumindo freneticamente do os recursos da biosfera. Matando, destruindo e atropelando toda forma de vida por um simples pedaço de papel. Somos a doença sem cura. E a terra, um moribundo no leito de morte esperando por um milagre.

O planeta não precisa de médicos para diagnosticar o problema, ele precisa é de anticorpos contra esses agentes cancerígenos. Salvar o planeta não é só separar o lixo e fazer coleta seletiva. É combater o sistema, a ganancia. É combater a falta de intelecto e ignorância do tão poderoso e sábio homo sapiens sapiens. Não precisamos de coleta seletiva de resíduos e sim de ideias!

Todos reconhecem o problema, e a resposta esta nas mãos de cada um. Mas será mesmo, que essa natureza do homem lhe permite salvar o planeta?