domingo, 15 de julho de 2012

A síndrome da Fé


Por que as pessoas depositam suas forças na “Fé”? Lembro que quando ouvi essa palavra pela primeira vez, logo perguntei o que é fé? Me falaram que é uma coisa que você tem que acreditar. Mas acreditar no que? Mesmo com pouca idade na época, eu franzi a testa e não fiquei convencido dessa explicação.

Ter fé! Constantemente ouço isso pelas ruas, escrito em sites e em carros. Mas ninguém tem uma consciência de apontar o que realmente é fé. Parece que a própria fé em pessoa vai chegar e resolver todos os problemas que rodeiam essas pessoas que andam falando e pregando a fé nos cérebros enfermos que vemos por ai.

Se ter fé significa acreditar, logo “fé” e “acreditar” são ambíguos. Criando assim um termo para se referir a acreditar em alguma coisa sobrenatural, que vai cair do céu enquanto ficamos sentados esperando a ação da fé.

Caro leitor beato, sinto lhe informar que, Fé não vai mudar a vida de ninguém. Trabalho duro sim! Isto sim pode mudar alguma coisa. Ter ou não ter fé, não vai fazer de ninguém melhor ou pior que ninguém. Apenas fazer com um cérebro chulo acredite em algo que nem mesmo ele sabe o que é. Se nem mesmo os próprios “pregadores de fé” acreditem neles mesmos, você acha que a fé vai resolver alguma coisa pra alguém, sem trabalho duro?

Não to tentando bancar o polemico, nem o ateu, nem mesmo o ateu polemico. Apenas tentando achar um melhor significado pra fé, segundo alguns costumes. 

Quase tudo que é incomum no homem pode ser resumido em um palavra: "Cultura". E fé me parece uma delas.






Nenhum comentário:

Postar um comentário