domingo, 10 de junho de 2012

A síndrome do Neurolisador


Funciona como uma síndrome, uma serie de atos e comportamentos controlados mesmo quando parece não estar sendo controlado. Seguindo regras cuja quais desconhecemos as origens e seus efeitos.  Uma síndrome que molda o intuito de pensar desses pobres seres que chamamos de pessoas.

As pessoas tem o costume de rotular aquilo que não entendem, ai tem a sensação do controle das coisas. Até que você começa a questiona-las, e elas se perdem e suas palavras vazias. Mas é claro que pra estas pessoas, ter o controle de um rotulo de uma coisa que ela desconhece é muito mais cômodo do que buscar entender a razão de suas palavras vazias.

O problema com a exceção a regras é a linha que delimita elas. E justamente essa linha que constrói um raciocínio moldado pelos fundadores das regras, que surte efeito. Eles sabem que as pessoas não quebraram as regras, uma vez que essa pessoa vai ser trajada com um “pecador” ou “marginal” ou alguma coisa do tipo, e assim mantendo a muralha da china em suas cabeças.

Nós, humanos, estamos tão familiarizados com as regras, e elas são tão potentes sobre nós que, se temos pouco visão, obedecemos à regra em si, mesmo quando percebemos perfeitamente que ela não esta servindo em nada para nós ou para qualquer outra pessoa.

É como disse antes, funciona como uma síndrome. A síndrome do neurolisador!  Onde uma simples regra lisa toda a sua capacidade de examinar e pensar sobre uma situação em questão.

Eu costumo brincar com o seguinte: A cultura produziu o cérebro que a produz. Muito simples, Questione!

Um comentário:

  1. Acho que aqui cabe um famoso ditado: "Manda quem pode, obedece quem tem juízo"

    A sociedade que "pode" quer nos enfiar goela abaixo tudo que julgam ser certo. Ai os que pensam diferentes passam a ser ilegais ou imorais...

    ResponderExcluir