domingo, 24 de junho de 2012

A síndrome de não mudar


O comportamento é o resultado de varias expressões genicas e também de aprendizado. Ele é exclusivamente único. Cada um possui o seu conjunto de características únicas, sendo praticamente impossível alguém possuir as mesmas características que a suas.

Podendo variar desde simples gestos ate atitudes complexas. O interessante é que na maioria das vezes o comportamento é involuntário. Não se percebe a tomada de decisão repetida ou a característica de causar alguma confusão. Mesmo que aprendemos com o tempo a controlar certas expressões, os rastros são visivelmente claros. Não mentem.

Assim como um escritor deixa seu DNA no seu texto, a característica deixa pegadas. Vo te contar um segredo: As pessoas não mudam! No máximo escondem suas expressões. Dai se tem a impressão de que alguma coisa mudou, mas a verdade é que não aconteceu nada. Pode passar anos, décadas, pessoas não mudam. Elas crescem! Mas crescer não significa que você mudou. Apenas ficou mais velho e as características são expressas do mesmo modo.

Agora um segredo maior: sabe por que ninguém muda? Simplesmente porque seu genoma não lhe permite mudanças. Ele preza pelas características que lhe permitiram sobreviver. Assim pessoas são únicas e imutáveis.

Ao conhecer as pessoas um dia, reconhecerá elas por toda vida. Se algum dia alguém te falar que você mudou, é quase certo que esse alguém nunca te conheceu!



domingo, 10 de junho de 2012

A síndrome do Neurolisador


Funciona como uma síndrome, uma serie de atos e comportamentos controlados mesmo quando parece não estar sendo controlado. Seguindo regras cuja quais desconhecemos as origens e seus efeitos.  Uma síndrome que molda o intuito de pensar desses pobres seres que chamamos de pessoas.

As pessoas tem o costume de rotular aquilo que não entendem, ai tem a sensação do controle das coisas. Até que você começa a questiona-las, e elas se perdem e suas palavras vazias. Mas é claro que pra estas pessoas, ter o controle de um rotulo de uma coisa que ela desconhece é muito mais cômodo do que buscar entender a razão de suas palavras vazias.

O problema com a exceção a regras é a linha que delimita elas. E justamente essa linha que constrói um raciocínio moldado pelos fundadores das regras, que surte efeito. Eles sabem que as pessoas não quebraram as regras, uma vez que essa pessoa vai ser trajada com um “pecador” ou “marginal” ou alguma coisa do tipo, e assim mantendo a muralha da china em suas cabeças.

Nós, humanos, estamos tão familiarizados com as regras, e elas são tão potentes sobre nós que, se temos pouco visão, obedecemos à regra em si, mesmo quando percebemos perfeitamente que ela não esta servindo em nada para nós ou para qualquer outra pessoa.

É como disse antes, funciona como uma síndrome. A síndrome do neurolisador!  Onde uma simples regra lisa toda a sua capacidade de examinar e pensar sobre uma situação em questão.

Eu costumo brincar com o seguinte: A cultura produziu o cérebro que a produz. Muito simples, Questione!

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Inimigo do tempo


Todos os dias quando acordo não tenho mais o tempo que passou. Já estou à beira de duas décadas de sobrevivência e nem percebi o cronometro da vida rodar. Apesar de minha maquina ser nova ela já apresenta defeitos letais. Mas sigo resistindo!

O tempo não foi meu amigo no passado, quando pedia por mais tempo, para passar com pessoas que determinei mais importantes em certos momentos. E do mesmo modo que ele foi meu inimigo antes, ele esta sendo agora. Roubando minha juventude e vitalidade, me fazendo caminhar rumo a única certeza deste mundo. A morte!

Acabo de olhos fechados, dormindo e querendo dormir cada vez mais. Sonhando eu acordo pra dentro. Eu só esqueço de que o sono é um primo da morte. E que por mais que tentamos engana-la um dia ela chega. Todo mundo morre!

Procuramos por mais tempo, mas perdemos muito tempo dormindo. Ate que um dia nosso tempo esgota e dormimos para sempre. Por mais que viramos a ampulheta a areia escorrer, por mais que tente segura-la ela escapa. E o tempo passa.

Não podemos perder tempo tentando segurar a areia. Apenas aprecie o tempo que ela te proporcionar, afinal o tempo é uma via de mão única. É sempre pra frente! E a cada dia que passa ele substitui momentos físicos por lembranças. E no final esse conjunto de lembranças recebe o nome de vida. E um dia a vida acaba!

Todos os dias antes de dormir, lembro e esqueço como foi dia que passou. Sempre enfrente, não temos tempo a perder.