domingo, 11 de março de 2012

O céu a noite


Há muito tempo não reparo na lua. É noite de lua cheia, em meio a tanta escuridão a luz da lua ainda sim consegui iluminar o quintal. Tudo esta quieto, consigo sentir a brisa gelada da madruga em minhas costas enquanto conto as estrelas.  Estrelas...

Olhando pra elas agora é como se elas fossem uma multidão de pessoas no céu. Umas insistem em brilhar mais que outras. Algumas bem coladinhas e algumas solitárias, isoladas. Olhando daqui parece que uma delas não quer nada além de pensar, de ter um tempo só pra ela. Parece que ela carregaria a constelação nas costas em troca de segurança das outras estrelas. Buscando forças com a lua para ajudar a seguir enfrente.

Muito comum em pessoas também. Tem vezes que elas somem buscando por um tempo pra si mesmo, questionando duvidas cruéis em suas mentes, ganhando forças pra combater seus medos. Pra fazer a escolha certa, algumas preferem carregar todo o fardo sozinha poupando pessoas proximas. Somente as pessoas puras são assim.

Quando a situação se encontra de cabeça pra baixo, onde tudo joga contra você, o desespero e o medo tomam conta. Pra quem está de fora é muito fácil falar, por que não temos conhecimento de como é sentir na pele de verdade. É por isso que o toque, um abraço, um beijo fale mais que meras palavras jogadas ao ouvido. A sensação de se sentir querido e protegido é o que importa.

Não sou um astro luminoso nem um amante da lua, apenas mais um sonhador.  Espero que essa luz que toca este mesmo chão que estou sentado agora possa te iluminar também.  Quando uma estrela se encontra sozinha há muito tempo as outras começam a procurar por ela, por que é isso que amigos fazem. Eles não te esquecem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário