quarta-feira, 7 de março de 2012

A Flor de Aizem


Certo dia, Mae e filho passeavam juntos pelas ruas da cidade. De mãos dadas, brincado e sorrindo eles andavam pela calçada. A criança devia ter uns cinco anos de idade a mãe também era jovem.  A criança era bem curiosa sobre o mundo ao seu redor, a mãe tentava responder as simples perguntas de curiosidade.

A mãe resolveu comprar flores para sua casa. Enquanto ela conversava com a vendedora, Aizen ficou parado observando as flores que havia por ali. Ele permaneceu quieto sem expressar nada ate sua mãe o chamar para ir embora. No carro, a mãe percebeu que Aizen este muito quieto e perguntou o que ele tinha. 
O pequeno Aizen perdido em tanta curiosidade, perguntou a mãe porque as flores murcham. A mãe inocentemente respondeu que era porque elas ficavam tristes quando se separavam de amigos.

Apesar de ser apenas uma criança, aquela resposta não acalmava Aizen. Por Alguns dias ele cuidou de duas flores que a mãe havia comprado. Aizen decidiu cuidar delas em vasos separados, mas pertos uma da outra. Ele as observava todos os dias, cuidava delas como se fossem irmãos aos quais nunca teve.

Quando seus novos vizinhos chegaram, Aizem notou que havia uma nova maninha de mesma idade morando na casa em frente. Ela tinha uma postura fechada, não falava muito e todas as vezes que os dois se esbarram com as caras na rua, ela sempre ficava olhando pro chão. Aizem um dia resolveu pergunta-la porque ela olhava pro chão. E Dolores respondeu que tinha medo da nova vizinhança e que se separou de sua antiga vizinha. Então Aizen correu ate em casa, e pegou uma das flores de que cuidava e deu a Dolores. Disse que era pra ajudar a se sentir melhor.

E durante tempos ela cuidou da flor de Aizem. Tornaram-se grandes amigos e brincavam juntos aos fins de tarde. Uma vez enquanto corria, Aizem caiu e se machucou, um pequeno ralado em seu joelho se formou. Chegou em casa chorando, e a mãe o socorreu. Enquanto a mãe cuidava do ferimento, Aizen cheio de caretas de dor, perguntou por que os ralados doíam tanto. E a mãe respondeu que era pra nunca se esquecer de bons momentos mesmo que doessem.


Um dia pela manha, Aizem notou que sua flor havia murchado, saio correndo ate a casa de Dolores e  chamou ate se cansar. Mas ninguém atendeu. Então ele voltou pra casa cabisbaixo, com uma carinha triste. A mãe já sabendo que Dolores havia se mudado, perguntou o que estava incomodando. Ele disse que foi ate a casa de Dolores e não tinha ninguém lá. Então sua mãe lhe contou que Dolores havia se mudado e que não queria ter contado pra ele. Aizem permaneu imóvel por alguns segundos, contendo as lagrimas ele foi ate a flor murcha que estava no quarto.  Ficou lá por horas. Ate que procurou por sua mãe e apontado para seu peito perguntou: - Mamãe, esta doendo, dói muito. Mas eu não vejo nenhum ralado, não vejo nenhum sangue. Por que dói tanto? A mãe quase sem palavras manteve a mesma resposta. Dizendo que era pra nunca se esquecer de bons momentos mesmo que eles doessem. E novamente Aizem perguntou por que as flores murchavam, e mãe tornou a dar-lhe a mesma resposta, dizendo que era por que elas se separam de amigos.


A moral da historia de Aizen é que não tem moral! Temos que conviver com simples fatos de que pessoas entram e saem de nossas vidas a todo o momento a qualquer hora. E mesmo que não queremos, os tempos mudam e aqueles que mudam com ele sobrevivem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário