quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Como um desenho agora !



Olhando para trás agora, eu vejo que a ingenuidade caminhou comigo. Eu não acreditei em certas circunstancias, vivia com os olhos fixados numa ilusão. Divido entre o dom e a preguiça. Com essa brincadeira, pessoas entraram e saíram e nem os vir passar. Eu as observei de mais, não dei a mínima, achava bobo às vezes e a razão sempre falava mais alto. Então eu procurei levar a infância a serio, ate que levei a serio de mais.

Como resultado disso tudo, é como se uma armadura criou-se sobre minha pele. Impedindo assim que os raios solares entrassem em contato com a melanina. Nunca cheguei a sentir como era ser tocado por ele ou sentir seu calor. Era como se eu não conhecesse o sol. E só identificava-o por ouvir falar dele e ao mesmo tempo, eu podia ver sua luz através da abertura do capacete.

Chega a ser engraçado agora! Por que hoje aquela armadura ficou pequena e se desfez com o tempo. Hoje me vejo como um desenho em branco. Sendo pintado e retocado pelas mãos de uma grande mulher. Essa que admiro muito, que despertou a bauhinia, que destruiu meu sistema imune, que me fez ver o “medo”, que trouxe o brilho de volta aos meus olhos, essa que me mostrou o sol, o seu sol.

Basta uma pincelada de seu sorrir que posso sentir os raios de sol tocar minha pele. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário